O Impossível Carinho, de Manuel Bandeira

Foto: lábios entreabertos
Escuta, eu não quero contar-te o meu desejo
Quero apenas contar-te a minha ternura
Ah se em troca de tanta felicidade que me dás
Eu te pudesse repor
- Eu soubesse repor -
No coração despedaçado
As mais puras alegrias de tua infância!



2 comentários:

Helio Jenné disse...

Esse poema é tudo de bom!
Beijos!

Osc@r Luiz disse...

Lindo o poema mesmo!
Pronto!
Agora esse é um blog merecidamente premiado!
Abraços!